Visão Geral

Governança na Liq

A busca permanente da Liq pela transparência na comunicação está traduzida em seu modelo de governança corporativa, alinhado com as melhores práticas do mercado. Seus princípios objetivam viabilizar a atuação da Companhia de maneira transparente, responsável e sustentável, a fim de preservar e otimizar o valor para os seus diferentes públicos de relacionamento.

No Código de Ética e Conduta, amplamente difundido em todos os níveis da organização e disponível a qualquer interessado, estão expressos os compromissos éticos assumidos pela Liq e que norteiam a conduta de cada um dos seus colaboradores. Entre outras normas, o documento determina os períodos para a negociação de ações por parte daqueles que têm acesso a informações privilegiadas devido ao cargo que ocupam na Companhia.

Outro importante instrumento de governança da Liq, é o Canal Direto (Ouvidoria), que analisa e encaminha dúvidas, sugestões, críticas e denúncias, garantindo o respeito e o sigilo para colaboradores, clientes, fornecedores e o público em geral. Os atendimentos são feitos por uma empresa terceira, especializada no tema, o que garante ainda mais autonomia, sigilo e total anonimato.

Para a Liq, esse canal é uma ferramenta essencial para a governança e gestão, na medida que as manifestações podem contribuir, de forma efetiva, com os princípios da responsabilidade corporativa. O trabalho desenvolvido permite uma aproximação maior da administração com o dia a dia da organização, o que possibilita uma atuação preventiva, já que o Canal Direto ajuda a manter o Código de Ética e Conduta e as políticas e procedimentos atualizados e válidos para nortear as decisões da empresa.

Adesão ao Novo Mercado

Alinhada à filosofia de transparência, a estrutura de Governança Corporativa da Liq é composta pelos Conselhos de Administração e Fiscal, pela Diretoria Executiva e Auditoria Interna.

Em julho de 2016, as ações da Liq iniciaram negociação no segmento especial de governança corporativa da B3 denominado Novo Mercado, solidificando os avanços em sua estrutura de governança.

Para tanto, todas as ações da Companhia foram convertidas em ações ordinárias, resultando na dispersão do capital social e controle pulverizado no mercado.

A reforma no estatuto social, que visou, o aprimoramento do processo decisório da Companhia, criando quatro Comitês permanentes de assessoramento ao Conselho de Administração: Comitê de Pessoas, Comitê Estratégico Operacional, Comitê Financeiro, Comitê de Auditoria, Gestão de Riscos & Compliance, foi uma das mudanças mais relevantes para adequação às regras do Novo Mercado.